sábado, 27 de junho de 2015

Computadores que Aprendem (Cognitive Computing): Evolução ou “Fim dos Tempos”?




Por DG Soluções em TI, 27 de junho de 2015



Inteligência artificial (I.A.) está sendo usada para desenvolver as capacidades humanas. Eu não sei quanto a vocês, mas a primeira coisa que me vem a mente quando alguém fala “Inteligência Artificial’ é: “SKYNET!”



Isso mesmo, aquela SKYNET do filme “Exterminador do Futuro”. Aquela que destrói quase toda a humanidade exceto por algumas poucas pessoas… bem, vocês provavelmente sabem a história :)

Imagem via Shutterstock

                             Imagem via Shutterstock


Após essa primeira observação, vamos desenvolver o tema né? Porque I.A está mais perto do que a maioria de nós pode imaginar.Esse termo foi definido em 1955 pelo cientista em computação John McCarthy. Basicamente, a ideia da I.A. é fazer computadores inteligentes, que tenham capacidades cognitivas (em inglês, cognitive computing) similares as do nosso cérebro. O objetivo é que os computadores possam ampliar a capacidade humana de pesquisar e refinar milhares de informações para nos ajudar em nossas decisões.



Desde meados dos anos 2000, a IBM vem desenvolvendo uma solução de cognitive computing chamada “Watson”. É uma solução única capaz de entender a linguagem humana e transforma-lá em uma forma compreensível para o computador, que pode assim realizar a pesquisa nos diversos documentos públicos existentes: livros, artigos acadêmicos, jornais e enciclopédias.



Vamos falar de uma forma mais simples: você vai poder “perguntar” algo para o “Watson” e ele irá te “responder”. Em 2011, Watson participou de um programa de perguntas e respostas na TV americana, chamado “Jeopardy!”, pois a IBM queria demonstrar as suas capacidades para o mundo, e o Watson não somente ganhou como simplesmente “atropelou” os outros dois concorrentes, que eram os maiores vencedores da história do programa.



Atualmente, o “Watson” já está sendo usado em diferentes indústrias, tais como de serviços financeiros, relacionamento com clientes e saúde. Você pode, por exemplo, ler sobre como a computação cognitiva está ajudando nas pesquisas para o tratamento do câncer.



Em uma TED talk realizada em Maio de 2014, o inventor e futurista Ray Kurzweil falou sobre a evolução do cérebro humano e de como os computadores irão impulsionar as nossas capacidades cerebrais, vale a pena conferir.


Mas, nem tudo são flores. E não é diferente com a inteligência artificial.



Recentemente, o Professor Stephen Hawking e o empreendedor Elon Musk falaram ao público sobre as suas preocupações com a inteligência artificial. O primeiro comentou que as máquinas podem se auto-reconfigurar e crescerem em uma velocidade superior aos humanos e nos deixarem para trás, e o segundo expressou suas considerações a respeito das regulamentações para esse campo de pesquisa.



Alguns especialistas discordam do ponto de vista de Hawking, argumentando que as máquinas sempre terão um “gap de humanidade”. Por isso, Inteligência Artificial em conjunto com os humanos sempre será mais poderosa do que sozinha e é isso que previne essa explosão em I.A mencionada por Hawking.



Eu estou absolutamente convencido de que essa tecnologia fará parte do nosso estilo de vida muito em breve. A combinação de I.A com big data irá mudar o mundo e o número de opções parece ilimitado.



    E você, o que acha sobre computadores que aprendem? Evolução ou “Fim dos Tempos”? Deixe seu comentário abaixo!

0 comentários: